Cidadania - Moradores da Comunidade Portelinha resgatam cidadania em ação da Secretaria da Justiça

Após perder tudo durante incêndio na Comunidade Portelinha, Zona Sul de São Paulo, no início do mês de fevereiro, João Enoque Oliveira dos Anjos, 30 anos, e Michele Ferreira da Silva, 28 anos, tiveram a oportunidade de dar a volta por cima e recuperar parte que a tragédia causou em suas vidas. O casal, pais de seis filhos, conseguiu emitir as segundas vias de seus documentos pessoais por meio de uma ação do Centro de Integração da Cidadania (CIC), da Secretaria da Justiça e Cidadania.

Durante os dias 13, 14 e 16 de fevereiro aconteceu a Jornada da Cidadania nos Centros de Integração da Cidadania Feitiço da Vila e Sul, em parceria com a Associação Pequeno Mestre, o Instituto de Identificação Ricardo Gumbleton Daunt (IIRGD) da Polícia Civil, da Secretaria da Segurança Pública, e com o Centro de Apoio ao Trabalho (CAT), da Prefeitura Municipal de São Paulo. Cerca de 400 famílias da Comunidade Portelinha foram beneficiadas.

Os moradores da Portelinha receberam gratuitamente as segundas vias de certidões de nascimento, casamento e óbito, RGs e CPFs. Além dos documentos, também foram oferecidos serviços de fotografia 3x4 e de assessoria jurídica. “O objetivo da ação foi atender às famílias que viviam na comunidade e que tiveram seus documentos destruídos no incêndio. Ajudá-los a resgatar a autoestima com as emissões de seus documentos foi a nossa missão principal”, destacou Marcio Francisco dos Santos, diretor do CIC Feitiço da Vila.

O resultado da ação foi a emissão de 52 certidões (casamento, nascimento e óbito), 211 Carteiras de Identidade (RGs), 10 Cadastros de Pessoas Físicas (CPF), 42 Carteiras Profissional e mais de 150 encaminhamentos para outros serviços. Foram prestadas ainda 37 orientações.

“Por meio de segunda via e de novos documentos, devolvemos a cidadania aos moradores da Comunidade Portelinha, e essa é a nossa obrigação na Secretaria da Justiça. Depois de passar por esta tragédia, agora todos eles merecem atenção e dignidade como cidadãos”, disse Paulo Dimas Mascaretti, secretário da Justiça e Cidadania.

“Eu estava sem esperança nenhuma e totalmente desanimada depois de ver minha casa toda queimada. Eu perdi tudo. Meus móveis, roupas, todos os documentos e até os alimentos que estavam dentro da minha casa. Hoje eu moro com o meu marido e meus filhos na casa de um amigo, que emprestou para nós”, disse Michele Ferreira.

A moradora ficou muito triste sem os seus documentos pessoais, mas uma luz surgiu quando ficou sabendo da Jornada da Cidadania. “Sem os nossos documentos, eu e meu marido estávamos nos sentindo fora da sociedade, pessoas sem identidade. Mas, hoje, estamos nos sentindo resgatados e de volta à sociedade porque estamos tendo a oportunidade de ter novamente todos os documentos que queimaram no incêndio. É uma sensação de alívio. Esta Jornada de Cidadania do Centro de Integração da Cidadania está de parabéns”, ressaltou Michele.

Vanessa Albuquerque da Silva, 31 anos, é mãe de seis filhos - entre eles, uma menina adotiva - e disse que após passar pelo trauma do incêndio em sua casa, receber a ajuda para retirar os seus documentos foi um dos melhores atos que aconteceu com ela nos últimos dias. “Não sobrou nada na minha casa, perdi tudo que tinha. Só consegui salvar os meus filhos. Vim aqui para retirar os meus documentos e as certidões de nascimentos deles. Já aproveitei a oportunidade da Jornada da Cidadania para retirar os RGs de todos eles”, contou.

Vanessa disse que hoje mora em uma casa de dois cômodos com os seis filhos e o marido, tem fé que vai conseguir reconstruir sua vida ao lado deles. O marido não estava em casa, por isso não perdeu os documentos. A história da menina que ela diz ser adotiva mostra como muitas pessoas agem com o coração. “Ao lado da minha casa, muito antes de pegar fogo, morava um casal e a mulher estava grávida. Assim que ela deu à luz a menina, os dois sumiram e deixaram a criança para eu cuidar. Não pensei duas vezes, abracei a causa e cuido dela até hoje como minha filha”, ressaltou Vanessa Albuquerque.

 

 

Compartilhe esta notícia: